head teatro folha

“Confissões das Mulheres de 30” volta ao Teatro Folha 

A comédia já foi apresentada para mais de 300 mil pessoas e é um dos maiores sucessos do teatro paulistano

 release confissoes

 

 

A comédia “Confissões das Mulheres de 30” é um dos maiores sucessos apresentados no Teatro Folha e que permaneceu mais tempo em cartaz. As atrizes Camila Raffanti e Juliana Araripe, que se apresentaram durante quase 5 anos, agora voltam com uma encenação atualizada dos textos de Domingos Oliveira que tratam dos amores, conflitos e descobertas das mulheres que vivem nesta faixa etária. A temporada acontecerá de 05 de outubro a 15 de dezembro, com sessões às sextas-feiras, 21h30, e aos sábados, 22h.

As atrizes, que também assinam a direção, comemoram um público superior a 300 mil pessoas, desde que estrearam em junho de 2008. O que mais cativa o público e conquista empatia, é que as cenas são realizadas em tom confessional, mas de forma muito bem-humorada. Este formato de dramaturgia já havia dado muito certo quando Domingos Oliveira escreveu em 1992 o sucesso “Confissões de Adolescente”. Ao utilizar o mesmo estilo de dramaturgia, “Confissões das Mulheres de 30” também propõe comunicação direta com o público.

“Confissões das Mulheres de 30” mostra de maneira divertida o que muitas mulheres pensam e como lidam com seus desejos, sonhos, realizações e frustrações típicas dessa fase da vida. Sexo, casamento e separação, trabalho, preocupação com a maturidade e o descontrole emocional estão entre os temas tratados na peça. O autor Domingos Oliveira diz que toda peça teatral deve ser um escândalo, deve conter um escândalo. “No mundo moderno, nada mais escandaliza.  E as mulheres de 30 são sinceras em suas confissões. Entre os 30 e 40 anos, perderam a inocência e ainda não atingiram a sabedoria, porém no amor são imbatíveis”, comenta Domingos.

A atriz Juliana Araripe, que para esta nova versão do espetáculo escreveu dois textos em parceria com Domingos Oliveira, conta que um dos segredos do sucesso da peça, é manter o conteúdo atualizado, de acordo como evolui o pensamento das mulheres. “Na primeira montagem havia depoimento de uma mulher que após passar por várias situações declarava o desejo de voltar à cozinha. Hoje este pensamento está fora de contexto”, avalia. O movimento feminista cresceu e as mulheres estão sintonizadas num desejo cada vez mais forte de independência e de espaço para se expressar na sociedade.

Para a atriz Camila Raffanti, roteirista da série “O Negócio”, da HBO e criadora da série ”Rio Heroes”, pela FOX Premium,  continuar apresentando a peça é um exercício que possibilita demonstrar maturidade como atriz e mulher. “A nossa experiência pessoal é a bagagem que acrescentamos na peça. A alma feminina convida à reflexão sobre o amor e tudo isso vem também influenciado pelo feminismo que ganhou novas nuances”, diz.

A encenação continua centrada nas atrizes. Palco quase vazio, iluminação e figurinos pretos compõem a estética da cena. Tudo para dar foco às confissões e ao tom cômico dos discursos das mulheres de 30.

 

SOBRE O AUTOR DOMINGOS OLIVEIRA

Domingos Oliveira é autor, diretor e ator. Iniciou-se no teatro e projetou suas criações no cinema. Nos primeiros anos da década de 80, Domingos Oliveira se tornou um dos mais atuantes diretores do teatro carioca. Dirigiu grandes atores, como Jorge Dória, em “Amor Vagabundo”, de Felipe Wagner, em 1981, e Tônia Carrero, em “A Volta por Cima”, de Domingos Oliveira e Lenita Plonczynski, em 1982. Em 1980, recebeu o Prêmio Mambembe de melhor autor, por “Assunto de Família”. Com direção de Paulo José, a montagem tinha no elenco Fernanda Montenegro e Fernando Torres.

Vale citar, ainda, os excepcionais trabalhos de Domingos Oliveira como cineasta, a começar da comédia “Todas as Mulheres do Mundo”, de 1966, que, já no século 21, virou programa de entrevistas exibido no Canal Brasil. A partir dos anos 90, o cineasta se aprofundou na temática do amor, ao filmar e atuar em “Amores” (1997), “Separações” (2002) e “Feminices” (2005). Seu mais recente trabalho na telona é o longa “Carreiras” (2006).

Seu mais recente trabalho é o filme “Os 8 Magníficos”, em que assina roteiro e direção.

 

SOBRE O ELENCO

Camila Raffanti – Destaque no seriado Mothern (GNT), protagonista da primeira fase da novela “Em Família”, de Manuel Carlos, e na peça “Confissões Das Mulheres de 30”.

Camila Raffanti praticamente nasceu no palco. Sua família, proprietária de um teatro e de uma companhia teatral, fez com que sua infância fosse um cotidiano de interpretações de personagens em empreitadas que poderiam se transformar em meses de viagens pelo interior do Estado, numa intensa experiência artística.

Um curso de licenciatura em Artes Cênicas na Unesp foi o passo adiante em direção a mais de 20 espetáculos teatrais, incluindo uma temporada de 3 anos no grupo Antikatartica encabeçado pelo ator, escritor e diretor Nelson Baskerville. Nesse período atuou em duas montagens : “17 Vezes Nelson – O Inferno de Todos Nós”, “Camino Real” e “A Vida”.

Paralelamente, o seriado Mothern, baseado no blog das mães modernas, consagrou-se a maior audiência do canal pago GNT em 2007 e teve três temporadas de sucesso, duas vezes indicada ao Emmy Awards.

Em 2010, Camila Raffanti participou como convidada de um episódio da série, Aline, da Rede Globo.

Como roteirista, foi colaboradora da série Mothern. Escreveu as primeiras versões do filme “Superpai”, dirigido por Pedro Amorim. Foi roteirista de dois episódios do “Sítio do Pica-pau Amarelo”, série de animação exibida pela rede Globo. Também trabalhou na equipe de roteiristas da série “O Negócio”, da HBO.

Camila foi criadora da série ”Rio Heroes”, exibida pela FOX Premium.

 

Juliana Araripe – Além de ter feito teatro no Rio de Janeiro, foi apresentadora da TV por assinatura Sky, do canal Bandsports e do programa “Sexo no Sofá” no canal Glitz e Futura. Também foi apresentadora do canal Food Network em 2013 e 2014 fazendo entrevistas em português no Brasil, e em inglês, em Nova Iorque.

Em 2006, 2007 e 2008 foi protagonista da série “Mothern” no GNT, finalista por duas vezes do Emmy Awards, e roteirista colaboradora do programa.

No teatro, além, de atuar “Confissões das Mulheres de 30″, também foi atriz, autora e produtora da peça “Afrodite já tinha Celulite”.

Atuou na primeira fase da novela “Em Família”, da Rede Globo em 2014, na série “Rio Heroes”, no Fox Premium com segunda temporada confirmada.

Trabalhou, ainda, como roteirista no programa “Patrulha Nick”, (canal Nickelodeon), na série “A Vida de Rafinha Bastos”, do canal Fox, no programa “Terra Dois” na TV Cultura, com Maria Fernanda Cândico e Jorge Forbes (APCA de melhor programa em 2017), no programa “Dono de Casa” com Duda Nagle (estreou em agosto de 2018), no filme “Todas as Canções de Amor” (direção de Joana Mariani, estreia prevista para novembro de 2018), no programa “Territórios Urbanos”, na TV Cultura (estreia prevista para novembro de 2018), no longa “Chance” dirigido por Maurício Eça, (estreia prevista para julho de 2019) e no longa “Quem Casa Quer Casa”, direção de Joana Mariani, (em fase de produção).

É coautora da peça “Que tal nós dois”, com Carolina Ferraz e Otávio Martins, em cartaz de março a setembro de 2018 no Teatro Folha e foi redatora de criação no jornal “Valor Econômico” e colunista da revista GQ.

Além de atuar no teatro, cinema e TV, também trabalha em várias campanhas publicitárias.

 

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia – Domingos de Oliveira
Elenco e direção –  Camila Raffanti e Juliana Araripe
Supervisão geral – Eduardo Wotzik
Textos Orignais – Clarice Niskier, Priscilla Rozenbaum, Domingos de Oliveira, Dino Menasche, Lenita Plonczinski,  Dedina Bernardelli, Cacá Mourthé, Clarice Derzié,  Maitê Proença e Juliana Araripe
Iluminação – Salvador Cordaro
Figurino – Juliana Araripe e Camila Raffanti
Cenário – Cholito Chowe
Fotos – Deco Cury
Produção – Camila Raffanti e Juliana Araripe
Realização – Mano Que da Hora Produções Artísticas

 

SERVIÇO: CONFISSÕES DAS MULHERES DE 30

Temporada: 05 de outubro a 15 de dezembro de 2018
Apresentações: sexta-feira, às 21h30; sábado, às 22h
Ingresso:  R$50,00 (setor 2) R$70 (setor 1)
*Valores referentes aos ingressos inteiros na plateia e mezanino. Meia-entrada disponível em todas as sessões de acordo com a legislação.
Duração: 70 minutos
Classificação etária: 14 anos

 

TEATRO FOLHA

Shopping Pátio Higienópolis – Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 – Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto. Horário de funcionamento da bilheteria: quarta e quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 21h30; sábado, das 12h às 23h59; e domingo, das 12h às 20h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3661-5896, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, Owens-llinois,  EMS, Bain & Company, Grupo Pro Security, Previsul, Brasforma, NR Acampamentos, Nova Chevrolet e Andritz.

 

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL

O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de dezessete anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik, programando espetáculos para temporadas em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2,5 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” “Chapeuzinho Vermelho” e “Mogli” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso…”, “Dez Encontros”, “Jogo Aberto”, “O Empréstimo” e “Que Tal Nós Dois?”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado…” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.