A volta do Seychelles

Após um ano e meio longe dos palcos, o Seychelles prepara sua volta no próximo dia 2 de junho no Z. O grupo paulistano aproveita também para estrear sua nova formação ao vivo.

Além de Gustavo Garde, Renato Cortez e Fernando Coelho, passa a contar com Angelo Kanaan na bateria, Mauro Motoki na guitarra e Piero Damiani nos teclados e backing vocals.

Em atuação desde o início da década passada, o Seychelles completa 15 anos de carreira em 2017, com 3 álbuns e 3 EPs lançados. O grupo opta por construir uma trabalhada sonoridade que bebe diretamente no rock da década de 1970. Distorções que nasceram nas mãos de bandas como Secos e Molhados e Mutantes ganham uma camada extra urbana, dançante e bem humorada.
A banda trabalha atualmente na finalização de seu próximo disco, “O dia em que Virarmos Luz”, como previsão de lançamento para o segundo semestre do ano.
www.sey.art.br

Abertura do Show Papisa.

PAPISA é projeto solo de Rita Oliva, compositora e multi-instrumentista que lançou seu EP “Papisa” em novembro de 2016, marcando um novo momento em sua carreira de quase 10 anos com as bandas Cabana Café e Parati.

A vontade de explorar suas potencialidades e exaltar a questão feminina na música levou Rita a gravar todos os instrumentos de seu primeiro single, “Instinto”, e a produzir seu EP sozinha, lançado pelo selo pernambucano PWR Records, dedicado exclusivamente a bandas com mulheres.

Atualmente, PAPISA apresenta-se em formato solo, criando loops de guitarra e voz que convidam o público a um transe etéreo, enquanto o pulsar de beats e programações incita o despertar dos sentidos do corpo.

Ouça PAPISA: https://soundcloud.com/papisabrisa